Páginas

Blog literário criado em 29/08/2008, na cidade de Blumenau-SC.


2 de set de 2008

A loira do outdoor

Todo os dias quando eu passo lá esta ela, imóvel, sempre na mesma posição, mas tem algo que marca sua presença, que chama a atenção dos transeuntes. Não se trata do olhar marcante e o volumoso cabelo loiro que realçam o seu corpo maravilhoso. Ela simplesmente veste apenas uma deliciosa lingerie branca. Não importa o dia, nem a hora, esta é a sua única vestimenta. Fascina-me a sua nudez, nudez não mostrada, escondida, não por folhas como a de Eva depois do pecado, a sua precede, convida ao pecado, é pura sedução. Uma deusa em lingerie. Foge do padrão de beleza que se estabeleceu para aquelas do top internacional. Ou seja, nossa jovem tem atrativos, tem predicados, tem o que mostrar.

Sua beleza é para isto mesmo, para ser mostrada, revelada, realçada e não ficar escondida sob a materialização das mais estranhas fantasias de um estilista qualquer. Assim nós pobres mortais é que podemos fantasiar. Ao se decidir por mostrar quão generosa a natureza foi com ela, o fez com uma naturalidade estonteante e um requinte de crueldade a toda prova. Sim cruel, pois sua sedução maltrata, é um convite para o imaginário, talvez inatingível, com certeza desejado. Acessórios pretos complementam o quadro, onde uma sensual lingerie branca é o diferencial.

O branco e o preto se completam em uma perfeita harmonia de contrastes, tendo por pano de fundo, uma formidável escultura, que nem os mais renomados mestres do renascimento florentino conseguiram revelar. Não bebo da mesma fonte poética de Vinicius, mas ela bem que merece ser eternizada em verso e prosa, porém, a minha incompetência é intransponível abismo, triste frustração. Estática, conduz até mesmo o mais desavisado a se perder em um mundo sem fim da imaginação, onde a sedução ganha forma e vida, pois ela fala, ou melhor, sussurra aos nossos ouvidos. O que me disse não posso revelar.

Não precisa ser um adolescente imberbe e cheio de espinhas, os mais maduros, os resolvidos, os “coroas” ou tios, como dizem nossos adolescentes, sempre dão uma olhadinha e um suspiro, com toda certeza, também, os avós. Se a intenção foi simplesmente provocar, acertaram em cheio. Mas, se foi para divulgar a marca, foram de uma competência sem igual, pois agora, muitos marmanjos estão comentando a loira de branco da D Basic Darling. Os mais íntimos, ou mais afoitos falam apenas da loira da Darling. Alguns nem notam que ela esta segurando o salto alto de uma bota de couro preto, objeto que tem uma das mais altas cotações entre todos os fetiches masculinos.

Não interessa o seu nome, idade, ocupação ou qualquer outra informação, basta a sua imagem. Ao admirá-la, me vem no coração uma tristeza imensa, não por mim, mas por figuras do porte de um Donatelo, um Michelangelo, um Leonardo e um Rafael, os quatro grandes do renascimento, que nunca em sua mais louca imaginação puderam contar com tão espetacular modelo, que com apenas duas maravilhosas peças que ousam esconder sua nudez, revelou uma obra-prima do bom gosto. Que os quatro morram de inveja, eu de minha parte vou seguindo a vida apreciando e me deliciando com as obras-primas de outro tipo de arte, a arte da sedução. Bem dita sejas tu, maravilhosa lingerie! Bem dita sejam as mulheres que com apenas o básico ousam no dia-a-dia, maravilhosas!

Paulo Roberto Bornhofen
Escritor e Poeta
2005

0 comentários: