Páginas

Blog literário criado em 29/08/2008, na cidade de Blumenau-SC.


2 de set de 2008

A Argentina quer jogar duro com o Brasil

Cedo pela manhã ouço esta manchete nos telejornais. Lá vem mais uma aprontada dos “hermanos”, pensei. Não dei muita bola, mas durante o dia era só o que circulava pela internet. Resolvi ir mais a fundo e vi que o presidente portenho esta muito, mas muito chateado com o Brasil. Razões não lhe faltavam.

Os brasileiros entraram na Argentina e compraram suas maiores empresas. Compramos a maior cervejaria, a maior companhia de petróleo privada, a maior produtora de cimento e outras. Vejo nisto um certo sentimento de inferioridade, pois se compramos a maior deles, é porque a nossa maior era maior que a deles. Isto me lembrou aquela história dos adolescentes que ficam discutindo quem tem o órgão sexual maior. Preocupam-se tanto com o tamanho por que ainda não descobriram pra que serve, mas tudo bem, não é só isto.

O Néstor ta brabo, até fazendo beicinho, porque o Brasil quer todos as cadeiras em organismos internacionais, quer na ONU, na FAO, na OMC e falam os maldosos que até de termos um candidato a Papa o Néstor reclamou.Vão mais longe e dizem que ele não foi ao enterro de Sua Santidade porque o Lula foi. Talvez tenha ficado intimidado com a presença portentosa do nosso aerolula. Mas nós sabemos que não é bem assim. Não ficava bem o Lula oferecer carona pro Néstor.

O Néstor não é tão mesquinho assim. Ele esta apenas tentando jogar com a opinião pública portenha. A situação doméstica dos hermanos não esta boa. Deram um calote na comunidade financeira mundial. No inicio do século XX a Argentina detinha 50% da riqueza da América do Sul, agora só tem 8%, os caras tem motivo pra se sentirem inferiorizados. A Condoleesa veio ao Brasil e não visitou as terras do prata, não quer papo com caloteiros. O tio Sam disse que só se interessa por líderes, que aqui pelas bandas do Sul o líder é o Brasil e ponto final.

Seguindo a linha do tempo da ditadura, quando entrou em guerra com a Inglaterra para que os hermanos se esquecessem da pindaíba interna, quando eles tomaram o maior pau da história, o Néstor ta procurando um bode expiatório. O que conseguiram com as Malvinas? Nada. Perderam a auto-estima, além das perdas materiais e das vidas dos coitados que morreram. Agora o Néstor quer recriar uma Malvinas diplomática.
Para piorar a situação a comunidade européia publicou seu novo mapa onde aparecem as Malvinas, ou melhor Falklands como sendo território europeu. Dizem que o Nestor perdeu toda a elegância que ainda lhe restava: como os europeus puderam fazer isto com a Argentina? Oras a Argentina também é européia, ou os europeus se esqueceram disto?!

O Néstor disse que não vai perdoar. Os brasileiros e os europeus vão se arrepender. Vai devolver o status europeu para os portenhos. Para começar mandou construir uma catedral como a famosa Notre-Dame de Paris, inclusive com direito a quasimodo tocando o sino, tal qual o corcunda se tornou personagem de fama mundial pela obra de Vitor Hugo. Os portenhos tem direito a ter o seu. Como havia um impasse sobre quem seria nomeado quasimodo, estavam indecisos entre o Dieguito Maradona e o Carlito Teves, foram consultar o poderoso Néstor para que ele decidisse. Furioso da vida e aos berros sentenciou, aquela cadeira é minha, está ninguém me tira! O Dieguito e o Carlitos que se virem como gárgulas, bradou um irritado Néstor.

Paulo Roberto Bornhofen
Escritor e Poeta

0 comentários: